Home / Noticias 2008 / 08-83
 
Aqui estão 10 coisas que não podem faltar na sua mochila quando você se jogar no meio do mato


A primeira relação dos 10 itens essenciais em uma expedição foi criada há mais de 70 anos, em 1930, em um clube de montanhistas de Seattle, nos Estados Unidos. As décadas subseqüentes encarregaram-se de desenvolver, na velocidade em que avançam técnicas e tecnologias ligadas à aventura, novas versões e novos produtos. A “faquinha” de ontem tornou-se um canivete multifunção, a bússola de agulha magnetizada virou um computador compacto e a lanterna de baterias é hoje a “luz química”, um tubo que quando quebrado gera iluminação para orientação dentro de cânions, por exemplo.


O mais importante é saber que se aventurar por conta própria no meio do mato não é algo simples. Das trilhas menos desafiadoras aos cumes mais altos, é preciso conhecimento básico, instrução e, principalmente, estar preparado para os quase inevitáveis imprevistos. “E importante ter bom senso e não querer, nunca, dar um passo maior do que as suas pernas alerta Rodrigo Bastos, coordenador de cursos da Outward Bound Brasil (OBB), instituição que é líder mundial em treinamento outdoor e educa¬ção experiencial. Rodrigo dá a sua lista atualizada de 10 coisas que você não pode ir para o mato sem. (Gabriel Fortes)

1) Mapa e bússola. O GPS depende de sinal de satélite e não funciona em diversas situações, como numa expedição em cânions ou numa mata muito fechada, por exemplo.

2) Fósforos. Fonte de luz e de calor. Os ideais São os modelos à prova d’água, que podem ser encontrados nas lojas especializadas.

3) Lanterna. Mesmo para um passeio diurno, leve uma lanterna - se você se perder e escurecer, a roubada será um pouco menor. Os modelos mais modernos de headlamp (lanterna de cabeça) funcionam por centenas de horas com um mesmo jogo de pilhas e deixam as suas mãos livres para fazer uma fogueira, armar uma barraca ou analisar o mapa, por exemplo.

4) Comida extra. Leve sempre mais do que você acha que irá precisar.

6) Kit de primeiros socorros, e claro, conhecimentos para utilizá-lo. Um kit básico deve ter um anti-séptico como Povidine ou iodo, para limpar eventuais arranhões, gaze, esparadrapo, e alguns comprimidos de anal¬gésico, antiinflamatório, antidiarréico e antipirético.

6) Protetor solar. Pode ser creme protetor com fator alto ou então boné e roupas que escondam sua pele do sol forte.

7) Capa de chuva e roupas para o frio, independentemente do clima previsto. Hoje já existem capas de chuva que pesam menos de 80 gramas e que, dobradas, ocupam um volume menor que uma maçã. As velhas e boas “capuchas” (aquelas transparentes e finas, vendidas em porta de estádio) também quebram um galho sem entulhar a mochila.

8) Canivete multifunção. Em poucos centímetros você encontra uma mini caixa de ferramentas que pode salvar a sua aventura.

9) Água. Parece óbvio, mas é de fundamental importância. Além de sair com uma quantidade mínima de líquidos, leve também meios de tratar a água que encontrar no caminho, como iodo, Hidrosteril ou pastilhas de cloro.

10) Sacos de lixo, como forma de respeito à natureza e conscientização social. Traga de volta tudo o que você levou.