Home / Notícias 2012 /

Motivos para mandar seu filho para um acampamento

 

A partir dos 4 anos, as crianças podem se aventurar em sua primeira viagem solo

Passar uma temporada em um acampamento, longe dos pais, é mesmo uma aventura. Para você e para seu filho. Se a temporada for a primeira separação, procure fazer um período de adaptação. A professora de psicologia e pesquisadora de desenvolvimento infantil na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Débora de Hollanda Souza, filha de Décio e Elizabeth aconselha um distanciamento gradativo.

“À medida que a criança sinaliza que ela está confortável no novo ambiente, e que garantirmos que ela tem uma saída possível se a ansiedade aparecer (por exemplo, ela pode ligar pra mãe e ela virá buscá-lo), a primeira separação pode ser completamente indolor. É o mesmo processo quando o seu filho é convidado pela primeira vez para dormir na casa de um amigo”, exemplifica.

Embora possa ser um pouco assustador no começo, os ganhos de ficar um tempo longe dos pais podem ser significativos. Lívia Andrade Benatti, estudante de psicologia, filha de Ana e Eduardo, frequenta acampamentos desde os 9 anos: “A primeira coisa que aprendi acampando foi a desenvolver a minha independência. Você tem os monitores, mas eles têm que dividir a atenção com as outras crianças; você tem que escolher as próprias roupas, saber quando lavar ou não o cabelo e manter suas coisas organizadas, administrar seu dinheiro na cantina.”, diz.

Na volta, é importante segurar a (sua) onda para que o que foi aprendido durante a temporada se mantenha. “Uma criança que volta de um acampamento e que demonstra sua intenção de adotar comportamentos mais responsáveis, mas que não encontra nos pais ressonância ou apoio, muito dificilmente se tornará um indivíduo mais responsável. Será difícil manter os novos comportamentos”, enfatiza a pesquisadora.

1. Ele vai voltar mais independente

A gente sabe como é: pai e mãe estão sempre se antecipando aos desejos dos filhos. Em muitas casas, a criança não escolhe nem o que vai vestir ou comer (confesse que muitas vezes você faz o prato do filho...). Em casa, são dois pais para uma criança, cada vez mais. No acampamento, são um ou dois monitores para um grupo. Ou seja: ele vai ter de se virar um pouco.

2. Ele vai aprender a se organizar melhor

É comum os acampamentos fornecerem uma lista do que não pode faltar na bagagem, de lanterna a galochas. É importante deixar a criança mais velha conferir quais itens ela já tem e qual terão de ser comprados. Os menores podem ajudara separar os itens que vão para a mala. Os maiores podem arrumar a própria e levar a sua própria lista para, na volta, conferir se tudo está na bagagem.

3. Ele vai cuidar melhor das próprias coisas

Toalha jogada na cama? Não pode. Sapatos espalhados pelo quarto? Nem pensar. Além de manter as coisas sempre arrumadas, seu filho vai precisar decidir o que vai para a lavanderia e o que ainda pode ser usado mais uma vez, coisas do tipo. Não vai ter mãe ou pai atrás arrumando o que ele bagunçou.

4. Ele vai passar a ajudar nas tarefas domésticas

Em muitos acampamentos, como no tradicional Paiol Grande, as crianças são orientadas a arrumar seus pertences pessoais e a contribuir com a organização do dormitório – arrumando a própria cama, guardando roupas e até mantendo o chalé limpo. É a primeira vez que muitos descobrem como dobrar uma roupa ou lavar o chão do banheiro. Não se espante se seu filho voltar das férias querendo dar sua própria ordem no quarto.

5.Ele vai aprender a administrar o próprio dinheiro

Além das refeições principais, oferecidas no refeitório, é possível que seu filho possa comprar itens na cantina ou alguma lembrancinha na lojinha, por exemplo. Para isso, ele precisará administrar uma quantia que você estipulou, que pode ser trocada por fichas ou não, dependendo do acampamento.Ele vai precisar decidir se come aquele chocolate todo dia ou se guarda para comprar o chaveiro.

6. Ele vai ter mais contato com a natureza

As crianças que moram em cidades grandes raramente saem dos apartamentos. O acampamento pode ser uma boa oportunidade para que elas conheçam animais e tenham uma experiência diferente do seu dia a dia. Nesses lugares, o uso de celulares e outros aparelhos eletrônicos não é permitido, por exemplo. Seu filho vai perceber que há vida além dos gadgets. E pode voltar pra casa menos dependente deles.

7. Ele vai aprender a superar dificuldades

No Paiol Grande, para criar um senso de superação, as crianças são estimuladas a superar a ansiedade de passar a noite em uma barraca e o cansaço das atividades diárias. “Ao completarem a atividade Manobra Radical – uma série de obstáculos e desafios físicos, como o túnel de lama – os acampantes se tornam Paioleiros, um grupo seleto que compartilha os mesmos valores e vivências”, conta RicardoSteinle de Moraes, gerente do acampamento Paiol Grande, pai de Tales, Camila, Pedro, Erika e Bruna.

8. Ele vai fazer novos amigos

Nos acampamentos, as crianças vêm de diferentes cidades e, muitas vezes, têm estilos de vida bastante diversos. Muitos colégios fazem temporadas em que os acampantes são da turma da criança na escola, mas participar de uma turma que mistura crianças de várias instituições, cidades e Estados diferentes pode ser mais enriquecedor. É uma oportunidade de seu filho experimentar papéis que não tem oportunidade de viver na escola e de fazer amigos diferentes, muitas vezes até mais próximos. Essas amizades podem ser mantidas depois e muitas crianças chegam a se encontrar fora do acampamento, visitando a casa uma das outras.

9. Ele vai descobrir novos interesses

Algumas crianças voltam para casa querendo adotar as práticas saudáveis que conheceram durante a viagem. Também é comum que elas voltem dizendo que querem ser monitores no futuro. A estudante de psicologia Lívia Andrade Benatti, filha de Ana e Eduardo, que frequenta acampamentos desde os 9 anos conta que, depois da primeira experiência, passou a freqüentar o acampamento de jovens da igreja. “Nos últimos quatro anos, tenho acampado duas vezes por ano, ainda com os adolescentes e jovens da igreja. No entanto, passei de acampante a equipante: agora sou eu quem ajuda na organização do banho, da hora de dormir e levantar, além de ajudar a organizar brincadeiras e noites temáticas”.

10. Ele vai voltar morrendo de saudade de você

Há acampamentos que organizam temporadas em que as famílias podem ir com os filhos, mas ficar hospedadas em um local à parte, uma opção se você ainda precisa se sentir um pouco mais seguro antes de deixar o filho sozinho. Outros possibilitam que os parentes acompanhem a estadia deles por um site na internet, vendo as fotos e mandando mensagens. “Nos últimos dias [da primeira temporada] senti mais falta dos meus pais, mas me lembro de que eles enviavam bilhetes por meio de fax, então, depois daquele contato, fui até o final do acampamento sem problemas”, comenta a estudante de psicologia Lívia Andrade Benatti, filha de Ana e Eduardo, que frequenta acampamentos desde os 9 anos. Você pode estimulá-lo a mandar cartas, outra experiência nova. E esperá-lo de braços abertos na volta. Nada mais gostoso que esse abraço apertado de reencontro!

Consultoria:

Débora de Hollanda Souza, filha de Décio e Elizabeth , professora de Psicologia e pesquisadora de Desenvolvimento Infantil na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). RicardoSteinle de Moraes, pai de Tales, Camila, Pedro, Erika e Bruna, gerente do acampamento Paiol Grande.





 

 

 

 

 

 

 

 

Manutenção e Atualização: KR Comunicação Integrada